Feminismo e sororidade: 10 perfis empoderadores para seguir no Instagram

O Clarices e Marias é um projeto fundamentado principalmente neste site, mas que também está presente nas redes sociais. Essa presença, no entanto, é mais do que uma mera forma de divulgação: apresentar aos seguidores o conteúdo postado aqui é importante, mas estar no Facebook e no Instagram é também uma forma essencial de eu, Michelle, compartilhar opiniões, conversar, trocar ideias e estar próxima de todos os que acompanham meu trabalho por aqui.

Foi pensando na importância das redes sociais, principalmente na do Instagram, minha rede social preferida que possibilita um intenso contato entre os usuários, que resolvi criar uma lista de perfis que sigo e que me inspiram. Se faz parte de nossa rotina checar as redes sociais a todo momento, por que não preencher nossa timeline com mensagens de poder e sororidade? 

Eis aqui algumas sugestões de perfis incríveis que acompanho para que vocês também possam segui-los, começando pelo perfil do Clarices e Marias, claro:

1. Clarices e Marias

 

2. Filhas de Frida

View this post on Instagram

"É preciso parar de romantizar Lolita. Não é uma história de amor. Não é um romance. Não é bonito. O autor Vladimir Nabokov foi muito claro em vários momentos em que foi questionado sobre isso, que o livro é narrado por um homem terrível, chamado Humbert. […] Nas palavras do próprio criador do personagem, este é um homem miserável, vaidoso e pedófilo que morreu na prisão por assassinato e violação estatutária. Além disso, é um narrador 0% confiável. […] Dolores (Lolita) é uma menina órfã de 12 anos, que após a morte repentina da mãe, se obriga a viver sob a tutela do padrasto que mal conhece – padrasto esse que abusa sexual e psicologicamente dela, que não tem mais ninguém no mundo para abrigá-la. Dolores Haze, vítima das fantasias e obsessões de um estranho de 40 anos que passou a morar em sua casa de repente, e ser extremamente educado, gentil, e por que não carinhoso? Sua mãe a odiava (a descrevia como impulsiva, pirracenta, mal-educada e infantil) e não conhecia o pai, Humbert se aproveitou não só da carência afetiva como da falta da figura paterna para se aproximar e abusar de Dolores. O fato dela ser demonizada no livro tem muito a ver com nosso narrador. É só prestar atenção para perceber que Dolores tem, sim, personalidade, mas não tem voz nem vez na história, já que para Humbert ela é apenas o seu objeto de adoração e desejo."

A post shared by FILHAS DE FRIDA ♀ (@filhasdefrida) on

 

3. Feminiismo

 

4. Classes Feminista

View this post on Instagram

#feminismo #feminista

A post shared by Classes feminista ♀ (@classesfeminista) on

 

5. Empodere duas mulheres

 

6. As mina na história

View this post on Instagram

Maria Lacerda de Moura, foi escritora, militante, jornalista, conferencista, educadora e pensadora. Mineira, nascida em 1887, se casou aos 17 anos, mas apenas com 27 anos começou a recusar a identidade doméstica e estudar diversos assuntos, até se encontrar numa posição de feminista. Ela é considerada uma das pioneiras do feminismo no Brasil, seu feminismo era voltado a realidade das mulheres operárias. Antes mesmo de assumir seus ideais feministas, quando ainda morava em Barbacena, era uma líder popular, incentivou a construção de casas populares para a população carente e ajudou fundar a Liga contra o Analfabetismo. Em 1919, junto com Bertha Lutz fundou a Liga pela Emancipação Feminina. A sua participação na Liga era pra defender a instrução feminina como forma de emancipação, uma das formas visualizadas por ela de emancipar a mulher era a proposta da inserção da matéria "História da Mulher" nos currículos escolares. Maria Lacerda defendia não só mudanças no currículo das escolas, a educação em si e os direitos das mulheres, mas também o amor livre, era a favor de uma educação sexual, combate ao fascismo e ao militarismo e era anticlerical. Enquanto o feminismo no Brasil tratava apenas do Sufrágio Feminino e coisas afins, ela ousava ao criticar a repressão sexual feminina, ser a favor do divórcio e do amor livre, lutar contra a exploração do capitalismo, entre outras coisas. Ela é considerada uma das pioneiras do anarcofeminismo no Brasil. Ela também era vegetariana e escreveu mais de 16 livros, entre eles "A mulher é uma degenerada?", "Religião do amor e da beleza", "Amai e não vos multipliqueis", entre outros. Em 1921, fundou a Federação Internacional Feminina. #repost

A post shared by As Mina Na História (@asminanahistoria) on

 

7. Doses Diárias de Feminismo

 

8. A feminista

View this post on Instagram

Dica pra sábado! ❤

A post shared by A Feminista ♀ (@afeminista) on

 

9. Frida Feminista

 

10.  Livremente minh 

View this post on Instagram

#livrementeminha

A post shared by #livrementeminha (@livrementeminha) on

 

Um comentário sobre “Feminismo e sororidade: 10 perfis empoderadores para seguir no Instagram

Deixe seu comentário pra gente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s