A saborosa união de Literatura e Gastronomia: conheça a história de Denise Godinho, criadora do “Capitu vem para o jantar”

Em algum momento da vida, todo mundo passa por uma situação incrivelmente transformadora: é o famoso ponto de virada, marco definitivo que divide a vida e, depois dele, a história nunca mais permanece a mesma. O grande marco na vida de Denise Godinho aconteceu, como na maioria das vezes, quando ela menos esperava. Jornalista freelancer, dedicava-se a uma matéria de literatura e, por isso, resolveu reler Dom Casmuro, clássico de Machado de Assis, numa sexta-feira à noite. De repente, algo, mais do que a própria narrativa, saltou-lhe aos olhos: a cocada que Capitu recusa na cena em que Bentinho conta a ela que irá ao seminário. Ali, a leitora Denise percebia o quanto a gastronomia está presente nas obras literárias e podem, sim, dar novos significados e possibilidades às histórias.

Para ela, a culinária fundiu-se naquele momento com a literatura de forma inseparável e Denise nunca mais abandonou essa dupla: de jornalista freelancer em busca de inspirações gastronômicas, tornou-se criadora e produtora de conteúdo de Capitu vem para o jantar, onde divulga os sabores que aparecem nos livros que lê, apresentando suas receitas, curiosidades e histórias. Desde 2014, Denise conquistou mais de 12 mil seguidores (e contando!) em sua página no Facebook, cerca de 600 visitantes diários em seu site, um repertório literário mais do que bem considerável e ótimas habilidades na cozinha.

Conheça um pouco mais sobre essa saborosa história, prepare-se para dicas literárias e o estômago, porque depois desta matéria você também vai querer se aventurar nas mais variadas receitas que se escondem em seus livros favoritos!

16651241_10212222751066784_1805183937_oClarices e Marias: Em que momento da sua vida Capitu vem para o jantar surgiu? Como foi o grande momento?

Denise Godinho: Eu já estava trabalhando como jornalista freelancer há dois anos e na ocasião escrevia uma reportagem sobre literatura. E me lembro que havia decidido reler Dom Casmurro pra escrevê-la. Eu já havia lido a obra algumas vezes, mas aquela foi a primeira vez que me atentei a menção de uma cocada. Uma cocada, por sinal, que tem bastante importância para a relação de Capitu e Bentinho.
O negócio é que fiquei com muita vontade de comer o doce, mas era madrugada de sexta para sábado e eu não ia sair a esmo pela rua procurando uma cocada, né? Então improvisei o doce com uma lata de leite condensado e coco ralado que tinha no armário. Ficou uma espécie de beijinho. E essa coisa de comer o doce lendo sobre ele me trouxe vários questionamentos. Por que Machado de Assis escolheu uma cocada? Será que ele gostava de cocada? Será que ele comia o doce enquanto escrevia aquele trecho?
Em paralelo a isso, vale dizer que neste momento eu não sabia cozinhar absolutamente nada. Nada mesmo! E já vinha pensando em aprender, pois sempre gostei de programas de culinária e sou de uma família de portugueses e italianos que cozinham muito. Mas sempre me faltou um incentivo, aquele empurrãozinho pra vencer a preguiça, sabe? Então juntou tudo e refleti: por que não finalmente aprender a cozinhar com meus escritores preferidos?
E como foi Dom Casmurro que me deu este insight, decidi fazer uma homenagem a ele: criei o blog Capitu vem para o jantar.

CM: Começar uma grande – e boa – ideia nunca é fácil. Como foi esse processo? 

DG: A princípio, a ideia era aprender a cozinhar, mas depois acabou virando uma pesquisa sobre esta simbiose entre literatura e gastronomia. Eu percebi que muitas vezes uma menção de comidinha em alguma história quer dizer muito mais do que apenas alimentar um personagem. Esta menção traz todo um contexto social, histórico e cultural que deixa a obra mais interessante. E essa curiosidade acabou se tornando o combustível para o projeto e, a cada livro que lia, me deparava com uma nova comida e isso me dava mais ânimo pra continuar pesquisando.
Colocar um projeto pessoal em prática do zero nunca é fácil, mas no caso de Capitu vem para o jantar acho que foi uma junção de fatores: ter o mote do assunto que é interessante, ter um incentivo à leitura e, até digo, um pouco de sorte. Não criei o blog querendo que ele se tornasse algo grande, mas aconteceu sem eu esperar. Como eu disse, a proposta era ser um diário pra aprender a cozinhar e contar minhas peripécias pra amigos e família, mas acabou crescendo. E ainda bem, né? (risos)

CM: Hoje Capitu vem para o jantar não é apenas um site, uma iniciativa da jornalista Denise que queria aprender a cozinhar, mas é também um livro e uma presença em escolas e em encontros de culinária e literatura. Como você vê essa transformação de algo virtual em algo tão concreto e diário?

DG: Ah, eu estou super realizada com isso! Eu ainda trabalho como jornalista freelancer, mas a verdade é que cada vez mais tenho me distanciado disso e me aproximado do Capitu como meu trabalho mesmo, não só um projeto pessoal, sabe? Muitas escolas, museus e instituições culturais começaram a me chamar para ministrar palestras sobre literatura e gastronomia, além disso Capitu também tornou-se um canal no YouTube e virou um livro. Eu jamais imaginava cresceria dessa forma!
Dizendo assim, até parece que foi só uma questão de sorte, mas não foi. Teve muito trabalho envolvido, muita dedicação, muitos livros, pesquisas e, claro, tive que colocar a mão na massa literalmente, afinal, a proposta era aprender a cozinhar, né? (risos)

16667965_10212222759346991_396747158_oCM: Como são esses encontros sobre literatura e gastronomia dos quais você participa? 

DG: Por enquanto todos os convites surgiram por causa do blog: já fiz palestras em museus, como a Fundação Cultural Ema Klabin, em instituições, como o SESC, em escolas, e é sempre muito legal, porque cada proposta é diferente da outra já que o público também é. Tento sempre montar uma palestra ou um encontro conforme o perfil das pessoas que vão assistir. Por exemplo: fui convidada a ir palestrar em uma escola porque os alunos estavam lendo A Fantástica Fábrica de Chocolate e eles queriam aprender a fazer a bala de caramelo que aparece na obra e discutir sobre o livro. Em outra oportunidade fui a um encontro de bibliotecários e falei sobre a relação entre literatura e comida de escritores nacionais. Também fui chamada pra ir a empresas em projetos que visavam incentivar a leitura para os funcionários.
Sempre aprendo muito nessas oportunidades, porque é sempre uma troca interessante e, depois das palestras, acontecem conversas riquíssimas com o público.

CM: Hoje, depois de muitas matérias e receitas, como você vê sua transformação pessoal? Valeu a pena literária e culinariamente falando?

DG: Com certeza valeu! Capitu me enche de orgulho e amor! E sou uma pessoa muito melhor com certeza: aprendi, sim, a cozinhar e mergulhei nesse universo literário que amo tanto. Pretendo me envolver cada vez mais e aperfeiçoar meus dotes culinário. Tenho até pensando em fazer uma outra faculdade, de Gastronomia.

16586687_10212222754026858_1233272550_oCM: Clarices e Marias fala um bocado de literatura, então não poderia faltar uma pergunta: de todas as receitas, de qual livro escrito por uma mulher é a sua favorita? 

DG: Sou suspeita ao responder essa pergunta, porque gosto muito de Clarice Lispector. Então, fico com as rosquinhas açucaradas de A Hora da Estrela. [Se você também gosta e quer aprender a fazer as famosas rosquinhas, a Denise ensina a receita aqui: https://www.youtube.com/watch?v=ADaT-vPg890

CM: Denise, para encerrar essa entrevista ao melhor estilo Marília Gabriela, conte pra nós: uma mulher, uma música, um livro. 

DG: (risos) Acho isso tão difícil de responder! São tantas mulheres, tantas músicas, tantos livros! Vou falar o que me vem na cabeça agora: uma mulher, Dorothy Parker; uma música, Bassically,  da cantora argentina Tei Shi; e um livro, As Meninas de Lygia Fagundes Telles.

Deixe seu comentário pra gente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s